Alberto Fraga consegue assinaturas para a CPI da Lei Rouanet

A CPI da Lei Rouanet investigará repasses de verba pública para artistas famosos

albertofragadiv
Foto: Reprodução

Hícaro Teixeira – 24.05.2016

O deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) anunciou, nessa terça-feira (24), que criará a CPI da Lei Rouanet para apurar repasses de verbas públicas para artistas na gestão do governo da presidente afastada Dilma Rousseff. Fraga afirmou que já tem 202 assinaturas até agora. Para a CPI ser criada é preciso ter 171 assinaturas.

Amanhã será protocolado o requerimento da CPI da Lei Rouanet na Secretaria-Geral da Mesa da Câmara dos Deputados

“Sou contra artista famoso receber milhões do governo, enquanto milhares de iniciantes não conseguem nada para lançar o primeiro CD. Por que Claudia Leitte, Luan Santana e outros aí precisam de milhões do governo? Por que são bonitinhos?”, diz Fraga.

Medidas econômicas anunciadas pelo governo Temer são positivas

Agora só depende da aprovação do Congresso Nacional

size_810_16_9_temer
Foto: Marcos Corrêa/PR

Hícaro Teixeira – 24.05.2016

O mercado e analistas vêm tendo uma reação positiva a respeito dos novos anúncios do governo para reequilibrar as contas públicas e retomar o crescimento econômico.

As primeiras decisões apresentadas pelo presidente interino Michel Temer são medidas que limitarão os gastos públicos estabelecendo um teto, o pré-pagamento de parte da dívida do BNDES com o Tesouro e o saque de recursos do Fundo Soberano.

Até aqui, o governo cumpriu muito bem o seu dever de casa, seguindo a direção correta que a antiga gestão não tinha trilhado.

Outro ponto importante: Henrique Meirelles, ministro da Fazenda, não anunciou aumento de impostos, ou seja, nenhuma medida amarga. Como disse o líder do DEM no Senado, senador Ronaldo Caiado, as medidas são “palatáveis”.

Agora dependerá do Congresso Nacional para cooperar e aprovar, nessa tarde, as medidas apresentadas pela equipe econômica de Temer.

Outras medidas

O governo ainda vem discutindo a reforma previdenciária com centrais sindicais e Congresso Nacional, o uso de R$ 2 bilhões do fundo soberano do pré-sal para cobrir o déficit público, e as regras para governança dos fundos de pensão e estatais – que já tramita na Câmara dos Deputados.

STF é uma instituição frágil e leniente com a corrupção

É a terceira vez que ministros da Corte são mencionados em grampos de políticos. Jucá mencionou em procurar Teori

3 juizes
Foto: montagem

Hícaro Teixeira – 23.05.2016

Não é a primeira vez que ministros do Supremo Tribunal Federal são citados por políticos corruptos, como uma instituição que irá salvá-los da Justiça. Romero Jucá em gravação publicada pela Folha revela que tentou conversar com Teori Zavascki para se safar das investigações da Operação Lava-Jato.

“Um caminho é buscar alguém que tem ligação com o Teori, relator da Lava Jato, mas parece que não tem ninguém”.

É a segunda vez que Zavascki é citado em grampo de políticos investigados na Lava-Jato. A primeira foi pelo Delcídio do Amaral, ex-senador e ex-líder do governo cassado. O ministro Dias Toffoli também foi citado por Delcídio. “Nós temos que centrar fogo no STF agora, eu conversei com o Teori, conversei com o Toffoli”.

Rosa Weber, também ministra, já foi citada por Lula quando o grampo do ex-presidente foi divulgado.

“Eu queria que você visse agora, falar com ela [Dilma] já que ela está aí, falar com ela o negócio da Rosa Weber. Está na mão dela para decidir. Se homem não tem saco, quem sabe uma mulher corajosa possa fazer o que os homens não fizeram”.

Jucá merece ser defenestrado do governo e da política

As revelações de Jucá obstruir a Lava-Jato são graves. Temer precisa afastá-lo do Ministério do Planejamento para evitar crises

Romero-Jucá-Agência-Brasil-600x392

Hícaro Teixeira – 23.05.2016

O presidente interino Michel Temer deve, urgentemente, afastar o ministro do Planejamento, senador Romero Jucá (PMDB-RR), de seu governo para evitar crises em sua equipe ministerial.

Em conversa gravada e revelada pelo jornal Folha de S.Paulo, entre Jucá e o presidente da Transpetro Sérgio Machado, o peemedebista diz que tentará obstruir a Justiça “para deter o avanço da Lava-Jato”.

Inclusive, afirmou que teria conversado com alguns ministros do Supremo Tribunal Federal. “Tem poucos caras ali [no STF] ao quais não tem acesso e um deles seria o ministro Teori Zavascki”, diz.

São declarações gravíssimas, incluindo nome de grandes nomes do ninho tucano. Caiu. Todos eles. Aloysio [Nunes, senador], [o hoje ministro José] Serra, Aécio [Neves, senador]. O primeiro a ser comido vai ser o Aécio”, revela.

As revelações são profundas. Mostram também que a Operação Lava-Jato vem guiando o país em um caminho certo. É bom lembrar que o fim da corrupção é uma das principais marcas das manifestações favoráveis ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, governo onde estourou os maiores casos de corrupção envolvendo praticamente os principais partidos como PT, PMDB, PP, PR, PSDB.

 

“Criação do MinC não fez diferença, somos contra esse governo”, diz diretor teatral

19233571

Hícaro Teixeira – 21.05.2016

Ao permitir a volta do Ministério da Cultura, o presidente interino Michel Temer errou, por não ter ouvido a voz do povo nas redes sociais. Temer não conseguirá diálogo com esse grupo de interesse.

“Vamos manter a ocupação, porque somos contra esse governo. Não fez nenhuma diferença a recriação do ministério”, afirma o militante e diretor teatral Marcus Galiña.

A tática da esquerda na oposição é debochar e demozinar as boas ações do governo. Essas foram as mesmas táticas usadas contra o governo FHC.

Esses grupos de interesses não estão preocupados com o rombo de R$ 170,5 bilhões deixados por Dilma Rousseff, pois esse setor da classe artística faz parte desse dano causado nas contas públicas.

A criação de mais uma pasta traz gastos para as contas públicas, logo em um momento grave em que o governo criará mais um imposto para a população pagar.

 

STF ainda não devolveu processo de Lula ao Sérgio Moro

O ex-presidente perdeu o foro privilegiado assim que Dilma foi afastada pelo impeachment. Esse processo deveria voltar para primeira instância e não continuar na Suprema Corte

teori-1
Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Hícaro Teixeira – 18.05.2016

O ministro do STF Teori Zavascki ainda não devolveu a denuncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o juiz federal Sérgio Moro. Segundo o STF, o processo está sob sigilo.

É estranho, pois Lula perdeu o foro privilegiado depois que Dilma Rousseff sofreu o processo de impeachment. Não existe motivo para o Supremo continuar com a denúncia de Lula.

Em março, o STF tinha tomado uma decisão temporária pedindo para Moro encaminhar o processo do Lula ao Zavascki, depois que o ex-presidente tomou posse como ministro da Casa Civil, passando a ter foro privilegiado.

Para rebater a decisão da Corte, Moro tinha divulgado os áudios de um grampo do Lula e Dilma Rousseff planejando obstruir a Justiça.  No caso com a nomeação de Lula na Casa Civil, a denúncia foi encaminhada da primeira instância e fez o ex-presidente ganhar foro privilegiado.